quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

15 Personagens que fizeram justiça por si mesmos


Não nego que curto uma novela, lógico que muitas coisas mudaram ao longo dos anos, certos pontos foram sendo incluídos nas tramas. Atualmente, uma que está fazendo sucesso depois de uma fase de trevas em termo de audiência é O Outro Lado do Paraíso. Situando os não noveleiros, a trama trata de uma mocinha chamada Clara. Ingênua, doce, permissiva, acabou se casando com Gael, marido abusivo que batia nela. 

Sempre sob o argumento de dar mais uma chance, depois por ter engravidado ela protelou até denunciá-lo. A sogra tinha interesse no casamento, pois descobrira que nas terras de Clara haviam esmeraldas, mas diante da negativa da nora da exploração, tudo fez para conseguir as pedras, inclusive com ajuda de autoridades fazer parecer que Clara estava louca para interná-la em uma clínica psiquiátrica. Daí, a sogra com as esmeraldas, a cunhada, que era estéril, fica com o sobrinho recém-nascido e ainda casa com o antigo namorado de Clara, as autoridades ganham um benefício.

Lógico que quando a doce mocinha se dá conta da teia na qual foi envolvida não quer outra coisa além de sair de onde está e se vingar. Com a instrução e uma fortuna doada por uma amiga de hospício já com idade avançada e uma oportunidade de fuga, as coisas ficaram mais fáceis. Clara não foi a única a ser ferida por pessoas que por ambições pessoais não hesitaram em fazer mal e isso nela despertou o sentimento de revanche.

A linha entre a justiça e a vingança é bem tênue. A justiça tem a ver com assumir responsabilidade por atos e responder de acordo, já vingança tem a nuance de fazer o outro sentir o que você sentiu, na mesma intensidade e sentir satisfação por ver isso, é mais intrínseco e pessoal. Quando há vingança envolvida, algo é muito certo: quem se vinga age com inteligência na maioria das vezes, afinal, sendo um prato que se come frio, é preciso tempo para que o sentimento fique lá maturando a cada dia e para calcular os passos e ações de modo que quando o vingador se revele seja um abalo sem volta e um impacto que não se vai esquecer jamais.

Creio que Walcyr Carrasco é da mesma escola de Martin. Ele não é o tipo e autor que faz personagens perfeitinhos, puramente bons ou maus, ele sabe que todos temos nuances e que mesmo a mocinha doce pode ter uma reviravolta e se encher de espinhos. E com base nisso, não é a toa que quando se vê algo de vingança nos filmes, séries ou novelas, pode até não ser o sentimento ou coisa mais nobre do mundo, mas indiscutivelmente, é impressionante. Quem se vinga, mesmo que em algum momento se apresente tão violento ou com a mesma intenção e energia de seu agressor sempre desperta ou deixa aquela dúvida se não tem o direito de fazer o que se está fazendo, afinal, é um sentimento nato do ser humano, de não deixar passar algo muito ruim na impunidade. A justiça pela lei universal do retorno chega uma hora ou outra para tudo que se faz, por vezes quem é o prejudicado pode ver ou não, mas vingança é de iniciativa própria, então aqui estão 15 personagens que não quiseram esperar pelo universo e resolveram fazer algo por si mesmos contra quem os prejudicou.


15º Lugar: Jennifer Hills - Doce Vingança

Jeniffer sofreu um estupro coletivo, inclusive por um policial quando se mudou pra uma cidade do interior. Ela era inocente, jovem e doce. Devido a violência sofrida, o abuso e humilhação, ela resolveu que não ia deixar por menos. Mesmos os homens pensando que ela estava morta devido uma queda num rio, não demorou muito para que ela voltasse e começasse a matar um por um. Em cada morte, havia uma referência ao tipo de violência cometida durante o estupro. Claro que as feministas não radicais e as radicais mais ainda deve ter sido satisfatório ver os estupradores pagarem com violência equivalente, fisicamente e até psicologicamente é bem chocante ver os dentes sendo arrancados, o que se achava o bonitão ser jogado na soda cáustica e o xerife que obrigou Jeniffer a fazer sexo anal levar um tiro no ânus, porém é fato que é somente isso. A nuance da vingança dela é puramente violenta e você sabe o que esperar (sangue,sangue, sangue), mesmo sabendo que ela está dando o troco e vendo os caras implorarem, ela utilizou mais o físico que propriamente a mente para arquitetar e executar sua vingança. Mas por decidir executar isso e não parar, eis que está aqui.



14º Lugar: Aquiles - Tróia

Ele era o espadão da Grécia por assim dizer. Um guerreiro filho de uma deusa, com grandes habilidades que fazia os reis rastejarem a seus pés pedindo que lutassem por eles, era arrogante e vaidoso, não a toa que tinha por maior objetivo ter seu nome lembrado para sempre, nem que fosse dali a mil anos, não importando que lado escolhesse numa guerra. Até já falei de uma síndrome que leva o nome dele. Contudo o que realmente tirou ele do sério foi quando Heitor, príncipe de Tróia, por engano matou seu primo Pátroclo. Mesmo com ideal de se retirar da guerra de Tróia, no momento em que soube da morte de seu amado primo, foi sozinho aos portões da cidade desafiar Heitor. Estava movido pela raiva e ressentimento e ignorou as negociações de Heitor para um funeral digno de quem perdesse. Não bastou ele vencer Heitor e arrastar seu corpo atrás de sua biga de volta ao acampamento, ele precisou humilhá-lo antes da batalha como um aviso: "Vou cortar sua língua, suas orelhas e arrancar seus olhos. Você andará no mundo dos mortos cego, surdo e mudo e todos vão saber: este é Heitor, o tolo que pensou ter matado Aquiles".



13º Lugar: Scorpion - Mortal Kombat

Scorpion se transformou num dos meus personagens favoritos de Mortal Kombat devido sua história. Ele nem sempre foi Scorpion pra começar, era o ninja Hanzo, e vivia com sua família, mas depois de uma traição cujo resultado foi a morte de sua família inteira e a morte dele próprio por Sub Zero, Scorpion nasceu como uma face amargurada e sedenta de vingança de alguém que teve tudo que lhe era querido ser arrancado. Claro que dessa sede de vingança surge o épico e eterno embate Sub Zero vs Scorpion e que não parece ter fim até que um dos dois caia de vez.



12º Lugar: Jill Quinn - CSI Miami 

No 19º episódio da oitava temporada, foram retratados dois assuntos muito pertinentes: o bullying e vingança por causa dele. Jill era uma universitária que foi humilhada e exposta por três colegas de campus. Por ser gordinha, um deles fingiu interesse para colocar um vídeo íntimo na internet, é uma humilhação bem grande. Revoltada pela omissão das autoridades e por seus agressores terem saído impunes, em um ano ela emagreceu, mudou de nome e aparência e tramou a morte dos três no recesso de primavera, um foi empurrado de uma sacada, outra foi colocada junto com a roupa suja para a lavanderia e outro enterrado para se afogar e claro, antes de cada uma, a frase: "Você não se lembra de mim? Eu sou a gorda cuja vida você destruiu". Mesmo que o episódio termine com os corpos dos assassinados sendo mostrados, intercalando com cenas deles sorrindo e uma música suave ao fundo, vendo as falas de Jill lá no fundo fica o questionamento se ela, devido toda a revolta e abandono, não tinha reais razões para fazer o que fez.



11º Lugar: Beatrix Kiddo - Kill Bill

A partir de agora a coisa fica mais séria. Beatrix Kiddo ou simplesmente Mamba Negra talvez seja uma das maiores representações quando se trata de vingança. Ela ficou em coma por quatro anos, acreditou que sua filha não nascida tinha morrido, foi vítima de um massacre feito pela própria organização assassina para quem trabalhava e o pior: sabia que tudo isso tinha sido obra do homem que gostava: Bill. Supõem-se que quando alguém acorda depois de tanto tempo e percebe que não tem nada daquilo que lhe era importante, essa pessoa vai afundar de vez. Não foi o caso de Beatrix. Na hora que acordou, enquanto tentava recuperar o movimento das pernas "viu a cara dos safados que tinham feito aquilo, os responsáveis", ela era boa assassina e fez sua listinha da morte. Embora tudo tenha sido feito na base da faca literalmente, ela não foi de qualquer jeito. Precisou treinar com sua katana, usar de habilidades específicas em vários momentos e fez questão de sua espada ser feita pelo melhor artesão, não á toa foi ao Japão pra encontrá-lo. No caso de Beatrix, ao correr atrás de vingança, ela descobriu algo que nem esperava: que sua filha estava viva. Foi uma inusitada recompensa.



10º Lugar: Cataleya Restrepo - Em busca de vingança

Quando foi falado que vingança é uma coisa que matura, isso combina bastante com a história de Cataleya. Quando criança viu seus pais serem assassinados e nada pôde fazer. Mas o tempo só incrementou esse sentimento e 15 anos depois, já bem habilidosa como assassina profissional, ela passa a ir atrás dos assassinos de seus pais. Cataleya não só era expert em matar, ela tinha grande conhecimento sobre fugas, como se esconder, tanto que muitas sequências dela surpreendendo autoridades são de tirar o fôlego. E para dar um charme, digamos assim, a cada figurão criminoso que ela matava deixava como assinatura uma flor típica de seu país que levava o mesmo nome que o seu.



9º Lugar: Malévola - Malévola

"Adoro quando implora. Outra vez." 
Quando vemos o filme desta icônica personagem, percebe-se que antes dela ser vilã foi vítima. Esteban era ambicioso e queria o trono, contudo para isso não hesitou em tirar as asas de Malévola, o que ela tinha de mais precioso. Movida pela decepção e revolta, ela foi ao batizado de Aurora e jogou uma maldição na menina recém nascida e ainda enfatizou que nada no mundo poderia mudar aquilo. Fez referência ao beijo que Esteban tinha dito que era de amor verdadeiro quando ela fez 16 anos afirmando que seria a única forma de fazer Aurora acordar, já que não acreditava mais em amor verdadeiro.



8º Lugar: Bella Aldama - Marimar

Marimar, também chamada de Bella Aldama era uma moça humilde, ingênua e muito pobre. Ao conhecer um homem chamado Sérgio, apaixonou-se perdidamente e casou-se, porém devido seus modos e origem era sempre humilhada pela madrasta de seu marido. Passou a ser muito infeliz, inclusive porque o marido vai morar na capital da cidade sob a promessa de mandar buscá-la, embora o que quisesse mesmo era viver uma vida de solteiro. Marimar por sua vez, acaba sendo presa por estar com uma pulseira preciosa, sua sogra a obrigou a tirar o objeto da lama com os dentes somente para depois acusá-la de roubo, o marido sequer se importou ou deu amparo. O que ninguém esperava é que mesmo depois de anos na cadeia, Marimar passa a trabalhar para um homem rico onde aprende etiqueta e se torna herdeira deste. Decide então voltar para se vingar da família de seu marido, que se encontrava com problemas financeiros. Uma das cenas mais icônicas foi quando ela obrigou a ex sogra a tirar documentos importantes da lama tal como fizera no passado.



7º Lugar: Ana Francisca - Chocolate com Pimenta

Antes de Clara, houve Ana Francisca, personagem de novela do mesmo autor da atual das nove. Aninha era ingênua, doce, humilde e até meio caipira. Se apaixonou pelo rapaz popular da cidade, engravidou mas como ele era sobrinho do prefeito, foi humilhada publicamente no baile de formatura ao levar um banho de tinta verde. Lembra um pouco o filme da Carrie, a estranha no quesito risadas, porém ela não imaginava que seria amparada pelo dono da fábrica de chocolates na qual trabalhava, do qual tinha se tornado amiga acreditando ser ele um mero operário. Ele ao saber da gravidez, propôs casamento e a levou para a Argentina mesmo sob os gritos de "golpista" da cidade, já que ele era muito mais velho que ela. Mas antes de sair, jurou sob o horizonte que ninguém mais riria dela e que um dia se vingaria. Sete anos após ter partido, com a morte do marido, voltou a cidade como uma dama da sociedade, elegante, com seu filho crescido, dessa vez recebida com bajulações mas sem esquecer sua promessa e um a um, foi tramando planos para cumpri-la. Claro que tinha sempre um toque cômico para um assunto tão sério, contudo, Aninha deixa claro que quem tem esse sentimento dentro de si, não tem memória fraca.



6º Lugar: Norma - Insensato Coração

"Com a remissão da pena, por serviços que pode realizar no presídio, bom comportamento. Olha, na cadeia tem que ser obediente, viu? Eu sei... Talvez você consiga sair de lá antes dos 60, meio tarde pra tentar subir na vida, não é? Bom, se você tiver sorte, muita sorte, você sai de lá vivo. Essa é minha proposta. Você tem duas opções: você trabalha pra mim ou apodrece na cadeia. Não pense que existe uma terceira opção tipo, sair por aquela porta e fugir. Você sabe que agora eu tenho dinheiro pra te caçar, nem que seja no quinto dos infernos". 
Norma era ingênua e foi vítima de um golpe dado por Leo. Ele roubou o dinheiro do patrão de Norma e ela levou a culpa, por causa disso ela passou muitos anos na cadeia. E quando ela sai, lógico que procurou o indivíduo para o acerto de contas. Casou com um senhor rico, enviuvou e munida de uma fortuna, passou a procurar Leo e sabendo do caráter dele, descobriu vários crimes que ele jurava ter ficado obscuros. Ela não só colocou detetives atrás dele, como fez um dossiê completo e rezou a cartilha de quantos anos ele pegaria de prisão quando ela o denunciasse.  Para tê-lo nas mãos deu a opção dele trabalhar para ela, mas em condições degradantes, tudo com objetivo de humilhá-lo.


5º Lugar: Arya Stark - Game of Thrones

Arya aprendeu na marra a se cuidar. Ela era pouco mais que uma criança quando viu seu pai ser morto, ficou órfã de irmão e mãe, precisou se aliar a um inimigo para sobreviver, isso tudo ainda tentando incrementar suas habilidades. O ponto mais marcante em termo de vingança quando se trata de Arya é que para não esquecer, ela antes de dormir repetia o nome de cada pessoa de quem ela se vingaria, alguns sofreram o castigo não pelas suas mãos, o que gerou insatisfação nela porém na tentativa de se vingar do restante, ela se dedicou ao seu aprimoramento, inclusive apelando para uma sociedade religiosa que aprende a ter a habilidade de ter qualquer rosto, Arya sofreu, ficou cega por um tempo, quase foi assassinada, mas conseguiu seu intento e disse ao líder que voltaria pra casa. Claro que antes passou na casa Frey, local onde seu irmão, cunhada grávida e mãe haviam sido assassinados e lá fez sua justiça: usando de inteligência e habilidade, matou o chefe da casa se fingindo de empregada, com o rosto de uma pelo menos. E num banquete, usando o rosto de Frey, envenenou o vinho dos soldados e viu todos no salão morrerem. "Quando perguntarem o que aconteceu aqui, diga que o Norte se lembra e que o inverno chegou para a casa Frey".




4º Lugar: Emily Thorne - Revenge

Amanda também entra na linha de que a vingança é um prato que se come frio, quando criança viu seu pai ser preso por um crime que não cometeu, acreditando que ele morrera tempo depois. Passou a adolescência num reformatório e quando saiu de lá recebeu a herança de seu pai e jurou se vingar da família responsável pela prisão injusta de seu pai. Mudou de nome e até se envolveu com um dos filhos de Victoria, a matriarca da família responsável por todo seu infortúnio. Coisas que vem de infância parecem ser uma boa receita de maturação de ressentimentos.




3º Lugar: Nina - Avenida Brasil

Ela sofreu com uma madrasta perversa que roubou sua casa, mantinha um amante, foi responsável indiretamente pela morte de seu pai e a abandonou num lixão. Mesmo tendo feito amigos lá, foi adotada por uma família estrangeira mas nunca esqueceu a mulher que foi responsável por tudo que lhe aconteceu. Sabendo que sua madrasta Carminha havia se casado com um rico jogador de futebol, fez o amante se casar com sua cunhada mantendo-o sob o mesmo teto e fingia ser esposa dedicada, a raiva só crescia, ela achava que Carminha tinha que pagar não só por ela, mas pela família de bem que ela enganara por anos. Daí fingindo-se de empregada, conseguiu adentrar na casa, conseguir a confiança da patroa e provas de sua traição.




2º Lugar: Edmond Danteé - O Conde de Monte Cristo

"Por que faz isso?

"É complicado. Digamos que seja vingança, pela vida que você tirou de mim"

Em termo de reviravoltas, ele é a inspiração para muitos que vieram depois. Ele era um marinheiro simples, humilde, sem muitas ambições a não ser continuar trabalhando no navio e casar com sua noiva Mercedes. Mas por obra de seu falso amigo Fernand e um outro empregado invejoso, foi enganado, traído, acusado de traição e posto em um castelo prisão pelo resto de seus dias. Mesmo que nos primeiros anos tivesse fé, crendo que Deus lhe faria justiça, com o passar dos anos a esperança foi se apagando e só restou em seu coração o desejo de vingança. Tal como Clara, ele teve um mentor. Um padre que lhe ensinou não só conhecimentos mas a esgrimir. Ambos trabalhavam num túnel para fugir, mas devido a um acidente, o padre acaba morrendo e em suas últimas palavras revela a Danteé onde encontrar uma incalculável fortuna. Após conseguir escapar, Danteé não só consegue ficar rico como passa a traçar planos pra sua vingança, segundo ele morrer era bom demais para os que lhe tinham feito mal, eles tinham que sofrer na mesma proporção e ver tudo que lhes era querido ser arrancado deles. Com grande astúcia foi descobrindo as fraquezas e fez seus algozes cairem, apesar de não se sentir em paz com isso no fim contudo, consegue encontrar a luz de novo.





1º Lugar: Cersei Lannister - Game of Thrones

Cersei elevou a vingança a um nível que o próprio Danteé ficaria de joelhos. Ela tem nuances muito complexas, porém sempre é levado a crer que ela é puramente má. Contudo, Cersei na verdade é capaz de tudo para proteger aquilo no que acredita e aqueles que ama. Mãe obcecada pelas suas crias, ao crer que seu filho tinha sido assassinado pelo seu irmão, pôs recompensa enorme para quem o trouxesse. Ao ser humilhada pela ordem religiosa, escolheu a violência e explodiu o septo onde todos estavam concentrados, incluindo sua nora que ela odiava diga-se de passagem e assistiu tudo de camarote saboreando uma taça de vinho. A septã que a conduziu na caminhada humilhante, ela fez questão de prender e fazer um discurso sobre como fazemos coisas porque achamos bom e que ela a humilhou porque achava aquilo bom do mesmo jeito que ela matou todos no septo porque sentiu alegria com aquilo.

Ela não só se vingava de quem havia lhe feito mal, mais que isso fazia questão de jogar na cara o porquê ela estava fazendo aquilo, expor a pessoa aos seus próprios atos. Quando ela conseguiu
capturar Elaria Sand, a mulher que matou sua filha envenenada, prendeu-a numa cela de frente para a filha dela e disse que nunca saberia como ela tinha se sentido a não ser que perdesse uma filha. Enfatizou que não dormia direito porque pensava em formas de matar seus inimigos. Daí da mesma forma ela envenenou a filha de Elaria. "Todos nós fazemos escolhas, você escolheu matar minha filha, deve ter se sentido poderosa com isso. Você vai morrer nessa cela, você vai ficar aqui pra ver sua filha apodrecer, ver aquele rosto lindo se transformar em osso e pó e enquanto isso, você contempla as escolhas que fez. Mantenham as tochas acesas, não quero que ela perca nada". E mãe e filha terminam uma de frente pra outra sem poderem sequer se tocar uma última vez enquanto Cersei sai triunfante pelo seu ato. Sem dúvida, uma mulher ferida naquilo que lhe é de mais caro pode se tornar uma leoa feroz sem filtros para seus atos.

domingo, 19 de novembro de 2017

DIY Gargantilha e todos os braceletes da Harley Quinn Esquadrão Suicida


É fato que os eventos estão bem escassos este ano, porém não significa que as habilidades e aprimoramento devem ser deixados de lado, até porque há cosplays futuros que muitos podem querer fazer e exigem que se aprenda umas coisas. Logo, como o bom e velho Faça Você Mesmo é não só útil, mas dá pra economizar bastante obtendo resultados bem legais, eis que trago um tutorial de acessórios de uma das personagens mais procuradas para cosplay no ano passado: Harley Quinn, do Esquadrão Suicida. Os acessórios dela chamaram atenção pelos detalhes e referências ao seu Curinga. Espero que curtam!

MATERIAIS:

- E.V.A nas cores lilás, dourado e cinza (ou branco)
- Velcro
- Cola quente e pistola
- Rolo de papel higiênico
- Papel alumínio
- Cartolina ou papel de presente dourado
- Tinta acrílica metálica dourado
- Molde com as letras
- Tesoura, lápis e borracha

1. Gargantilha e pulseiras

- Recorte as letras do molde impresso


- Passe as letras para o E.V.A. dourado


- Pinte com a tinta dourada para dar mais vivacidade


- Recorte as letras do E.V.A


- Meça a medida do seu pescoço no E.V.A branco e a medida dos pulsos no E.V.A lilás



- Cole com cuidado as letras de PUDDIN no E.V.A branco e as de SIR e YES no lilás (cuidado com os dedos)


- Cole um pequeno pedaço de velcro na gargantilha e pulseiras

- E prontinho!


2. Pulseira de spikes

- Pegue o rolo de papel higiênico e corte ao meio


- Meça no seu pulso e acerte as pontas para ficar mais curvado

- Dobre bem para ficar bem firme


- Cole o E.V.A por cima



- Separe 8 pedaços quadrados de papel alumínio


- Modele eles pra que fiquem como spikes


- Depois separe 8 pedaços quadrados de papel de presente dourado



- Encape os spikes colando a ponta


- Cole os spikes ao longo da pulseira



- E prontinho!




domingo, 12 de novembro de 2017

6 coisas que tiram do sério atualmente




O mundo mudou muito nas últimas décadas. O advento da internet, de mensagens instantâneas trouxe muita praticidade e ao mesmo tempo novidade, não propriamente e exclusivamente positivas. Claro que num meio onde você não precisa ser nem especialista nem autoridade para expor o que pensa e fatos que acredita, lógico que isso gerou um impacto na sociedade. De repente, houve um sentimento de liberdade sem precedentes e com ele, a sensação de que excessos poderiam ser cometidos á vontade. Legalmente houveram mudanças na tentativa de conter a instalação do caos. Há o ponto de se pensar que não tem limites no meio digital e que as pessoas não se mostram muito dispostas a ceder em suas convicções duras.

Atualmente o que tira do sério é o meio que as pessoas estão usando para mostrar seus pontos de vista, atitudes extremas... mesmo algo bom e decente ao cair no exagero e no radicalismo torna-se nocivo e torpe, o bastante para que as próprias pessoas adeptas das idéias considerem errado. E com isso inclusive, outros que poderiam se interessar em conhecer, sentem uma aversão tão grande que de cara tomam como algo extremamente negativo e ruim, mesmo que o cerne tenha sido projetado pra ser uma coisa boa. Em tempos de internet é lamentável que esteja ocorrendo com mais frequência que deveria, segue um pequeno resumo das coisas que mais tiram e vem tirando qualquer um do sério.

1. Falta de interpretação de texto

- Gostar: Trans. dir. = achar agradável, apreciar
- Aceitar: Trans. dir. = estar de acordo ou conformar-se com
- Respeitar: Trans. dir. = não causar qualquer prejuízo a, não perturbar
É bem pertinente começar falando do significado destas três palavras porque quando elas estão envolvidas em muitas discussões, por vezes ou é esquecido ou por espontânea vontade, se confunde o significado delas e transformam tudo em um bolo só. Daí a frase "não gosto" ou qualquer expressão do teor 'gosto pessoal' é tida como desrespeito ao objeto/pessoa alvo do não-gostar, geralmente acaba em ofensa e castração de opiniões, como se todos tivessem que gostar das mesmas coisas para não serem ofendidos ou precisassem constantemente rebuscar palavras e assumir para si uma responsabilidade (inexistente) pelo que o outro pensa e em como recebe as informações, por mais claras e explicadas que sejam. Eu sempre exemplifico com o caso de dois vizinhos. Se por acaso um for ligado em música gospel e o outro em super batidão, podem até não gostar do estilo, aceitar muito bem o fato de uma família ser mais discreta e outra descer até o chão mas se se respeitarem, é bem capaz de nas festas cantarem "Nossa querida vizinhança" juntos.


2. "Seu livre arbítrio agora é meu!"

Do mesmo jeito que a Mary Shaw matava para se apoderar das vozes das vítimas, hoje em dia há muitos que creem ter o poder ou direito de se apoderar da vontade das pessoas e dizer o que elas tem que gostar ou aceitar, o modo como devem proceder, no que acreditar e caso contrário, é rotulado de algo que quase na totalidade é muito ruim. E isso ressalta os rótulos, afinal se não é/acredita em A, automaticamente é B, portanto é C e apoia D. Se você é ateu, dizem que você vai pro inferno. Se é cristão, te chamam de idiota e fantasioso. Se come carne, é carnista e assassino sem empatia nenhuma. Se é mulher e não liga pra cantadas, é machista. Se critica racismo, está correto e recebe aplausos, mas se aponta alguma falha de caráter de uma pessoa negra para com uma branca está sendo racista porque afinal, o inverso não existe. Se gosta de determinada arte de museu é ok, mas se gosta de outro tipo, é chato. Fora que sobre alguns assuntos, determinado grupo de pessoas sequer pode opinar, talvez nem pensar sobre porque "não têm esse direito". Tudo está muito preto e branco, ninguém está conseguindo estabelecer nuances, um ponto de equilíbrio, o que está gerando esse verdadeiro problema de grupos distintos, seja de que tipo for, é que estes mesmos grupos nem sempre se mostram dispostos a interagir. Numa época em que clamam por diversidade, tolerância e interação, com esse tipo de coisa, fica claro que em muitos casos o mundo está é cada vez mais dividido em nichos.

3. Mazelas de redes sociais

Li certa vez que hoje em dia "Textão é o novo B.O". Com o advento da internet, claro que o ato de escrever em redes sociais se tornou frequente. Porém como sempre há em todo lugar, pessoas se aproveitam do ato para disseminar informações nem sempre verdadeiras. Ou ainda, escrevem relatos longos sobre crimes e compartilham, ao passo que tais relatos ganham curtidas e compartilhamentos. Não há problema em expor situações erradas. problema é quando a vontade de expor se sobrepõe às medidas cabíveis para os crimes que estão sendo expostos. Ou pior ainda, se sobrepõe a veracidade dos fatos. E mais ainda quando há incitação de conhecidos na exposição, envolvendo pessoas em assuntos que deviam ser resolvidos intimamente. Sendo que o expositor ao agregar pessoas acaba gerando uma bola de neve maior que a intenção original.


4. Falta de senso

No meio de tantas pessoas querendo provar que tem razão, nesse meio muitas não se importam de usar qualquer artifício pra conseguir isso. E aí se não houver argumentos, fatalmente acaba em falta de senso. Ao invés de argumentos, muitas pessoas, em muitos momentos começam simplesmente a ofender, usar palavrões e tentar diminuir os outros a qualquer custo. Por experiência própria, percebi que nem precisa ofensa, basta proferir uma opinião contrária a maioria. É como se não houvesse capacidade para lidar com isso, ou mais ainda, capacidade para entender que haverão opiniões contrárias, seja lá em que assunto for. E o mais curioso nesta situação é que na tentativa de defender um ideal comum, muitos acabam ignorando por completo se alguém deste mesmo ideal for um completo cretino e não mostrar caráter algum. Mais triste ainda é que muitas causas defendidas são até nobres, porém as pessoas que supostamente as defendem são torpes. Sempre lembro de um fato que vi em um certo grupo que relata abusos sofridos por empregadas domésticas. É notório o quanto é benéfico para a classe os desabafos mas também é notório o quanto parecem não aceitar ou não querem acreditar que o contrário simplesmente existe. E sim, há indivíduas no mencionado grupo que buscam a todo custo justificativas para o fato de que há funcionárias domésticas que não fazem o trabalho corretamente, que pegam e danificam coisas, maltratam idosos e crianças... Isso quando não chamam de "mesquinharia" por parte dos empregadores atos que são de fato, roubo. Mesquinharia é você preferir ficar com dor de barriga a dividir seu pacote de jujubas. Pegar algo que não lhe pertence e não lhe foi dada liberdade de pegar não se enquadra nisso. Mas aí, por algum motivo (ou falta de senso mesmo) já vi justificarem com "Ah, mas foi só um pouquinho", "Ah, mas ela tava grávida, com os hormônios em alta", amenizando o (mínimo) direito de propriedade que o outro tem, quebrando limites necessários e lógicos que há entre empregadores e funcionários. Outro exemplo, neste ano mesmo, foi sobre uma mãe que queria obrigar uma moça a dar um brinquedo para o filho dela. Gostei de ver o quanto muitas mesmo sendo mães acharam um desserviço e falta de educação, mas não faltaram aquelas que acharam egoísmo, de novo mesquinharia dando a nítida impressão que queriam que o mundo girasse em torno de suas opiniões e concepções. Quando se discute com pessoas assim é aconselhável dar um basta de cara, pois elas são do tipo que roubam fotos no perfil alheio para humilhar quem as contraria, pressupõem fatos de vida na tentativa de diminuir a opinião dada, isso quando não vasculham atrás de coisas pessoais, como por exemplo hobbies, como uma forma de ataque. É infantil a um nível que beira o ridículo, afinal até o ídolo Cazuza dizia que queria viver uma ideologia mas ele não mencionou nada sobre ser um escroto por causa disso.


5. Politicamente (Exageradamente) Correto

Não estou falando do politicamente correto que fez com que piadas muito torpes fossem evitadas com determinados grupos, que ridicularizavam ou que transmitiam uma ideia equivocada. Estou falando do politicamente correto que castra conteúdos que mesmo seguindo todas as normas de respeito, sofre críticas em muitas vezes infundadas. É o politicamente correto que queria castrar IT, A Coisa de Stephen King porque palhaços estavam perdendo empregos e pessoas que tinham fobia não queriam no cinema. É o politicamente correto que afirma que Maria Antonieta de Las Nieves, no programa Chespirito não podia ter feito a Rainha de Sabá (personagem negra) pois estava usando a chamada black face, sendo que não imagino qualquer outra atriz que conseguisse reproduzir com tanta maestria a interpretação feita. É o politicamente correto que acusa de racismo cosplayers que fazem personagens negros e usam de pinturas corporais para se parecerem mais com seus personagens favoritos ou afirmam que não se pode usar tal acessório por pertencer exclusivamente a um povo/cultura/etnia. Um politicamente correto que censura desenhos, animes e filmes. O politicamente correto atualmente que faz com que histórias, ficcionais, diga-se de passagem e muito boas sejam tiradas do ar porque "não tem nada a ver com a realidade". Um exemplo foi uma fanfiction chamada "A Outra Face de um Tirano", que narrava o envolvimento de um capitão nazista cruel com uma judia e em como mesmo começando como um relacionamento abusivo, coisas boas foram sendo despertadas no tirano ao longo da trama. A pressão foi tanta que a escritora deletou a fanfiction e não responde mais as mensagens nem da administradora do site. O politicamente correto hoje em muitos casos julga você por ser contra e se chatear com coisas que de fato são erradas, mas ele muitas vezes coloca você numa posição de incompreensivo ao tentar achar justificativas para o injustificável. O excesso de politicamente correto é bem castrador e censurador, ficou bem claro num episódio dos Simpsons. Margie estava bem insatisfeita com o desenho Comichão e Coçadinha que seus filhos assistiam, afirmava que era violento e ruim, ela tanto fez que mandou uma carta para o produtor e eles mudaram o roteiro. Semanas depois, os episódios passaram a mostrar os dois tomando chá, fazendo tricô juntos e se houvesse dúvida sobre alguma sequência, os produtores ligavam para Margie para perguntar sobre o mais correto a ser mostrado. O resultado dessa mudança drástica? As crianças se cansaram de assistir algo tão chato e começaram a brincar na rua. É, os Simpsons mais uma vez previram o futuro...


6. Síndrome de Veruca Salt

"Papai, eu quero outro pônei". "Papai, eu quero ser o destaque do telão na formatura". "Papai, eu quero entrar primeiro". Puxando o assunto das mamães que acham que o mundo deve se curvar a ela e suas crias, não há coisa hoje que esteja mais evidente do que a criação dessa população de Verucas Salt. Pra quem não lembra, Veruca era a menina mimada da Fantástica Fábrica de Chocolates, tudo que ela pedia era prontamente atendido e sem demora. Vemos muitas pessoas sendo criadas assim, dentro de uma redoma na qual seus pais querem submeter o ambiente a sua vontade, ao invés de serem preparados para uma adaptação a situações e superação de adversidades, fatalmente pessoas criadas assim se tornam adultos meio incapazes, despreparados. Vemos casos de pessoas que com essa percepção de terem sempre tudo, quando batem de frente com o mundo, usam de vários artifícios para conseguir o que desejam, nem que o pai ou mãe tenha que bater um papinho em particular com algumas pessoas na tentativa de uma regalia ou usam do puro e simples abuso e cara de pau. E se o mundo mostram que não é trouxa e percebe esse tipo de atitude, ainda é chamado de invejoso ou acusado de estar com dor de cotovelo.